Clubes Náuticos Brasileiros
0

Veleiro gaúcho estabelece novo recorde para a Regata Alcatrazes

Equipe do Camiranga completou a prova em seis horas, quatro minutos e três segundos.
Veleiro Angela Star VI, de Peter Siemsen, foi o campeão na classificação geral da ORC e da IRC.

 
Rajadas de 30 nós (60 km/h) na Regata Alcatrazes – Marinha do Brasil, que  abre a Ilhabela Sailing Week desde 1999, obrigaram dezenas de barcos a abandonarem a prova. Conforme a previsão para este sábado (4), o vento entrou no Canal de São Sebastião exatamente no momento da largada, provocando ondas de dois metros. Quebras foram inevitáveis. Dos 119 barcos que largaram em frente ao Yacht Club de Ilhabela, no rumo sul, para três percursos distintos, 59 desistiram. Em relação à prova que contorna o Arquipélago de Alcatrazes, 60 veleiros partiram e apenas 34 concluíram a prova.

O veleiro gaúcho Camiranga, um moderno Soto 65, cruzou a linha de chegada às 18h20, mas passou pelo ponto de registro às 18h09, estabelecendo novo recorde, de seis horas, quatro minutos e três segundos, para a Regata Alcatrazes. A melhor marca para o percurso de 60 milhas (110 quilômetros) pertencia ao S40 argentino Cusi V desde 2009, com seis horas, 12 minutos e 29 segundos. A organização aproveitou para instituir a partir deste ano o recorde para a classe RGS. O tempo de referência passa a ser do Inaê Transbrasa, com nove horas, 34 minutos e 37 segundos.

O Camiranga, maior embarcação entre as que correram até Alcatrazes, foi comandado por Samuel Albrecht, que retornará ao Rio de Janeiro nesta semana para seguir em campanha olímpica para o Rio 2016 na classe Nacra, com Isabel Swan. O próximo desafio do Camiranga será a Santos-Rio, em outubro.

Na classificação geral da ORC na Alcatrazes por Boreste, o veleiro Angela Star VI de Peter Siemsen foi o campeão. A equipe levou também o título na IRC. Já na RGS-A, o Inaê/Transbrasa, de Bayard Freitas Umbuzeiro, venceu. Na RGS-B, o campeão foi o BL3, de Pedro Rodrigues.

O vento forte também levou emoção à Regata Toque-Toque. Mastro quebrado, velas rasgadas e equipamentos avariados provocaram várias desistências. Em meio ao festival de imprevistos, a prova com 18 milhas (32 quilômetros) teve como Fita Azul, primeiro barco a cruzar a linha de chegada, o C30 Caballo Loco, seguido pelo Loyal CA Technologies, com o HPE 30 Tahiti Nui em terceiro lugar.

A classe HPE 25 abriu a competição com a disputa do Troféu Renato Frankenthal, de posse transitória. Os barcos precisaram de muito esforço dos quatro tripulantes para enfrentar o vento. Ginga, Fit to Fly e Atrevido foram os três primeiros. Um dos favoritos, Suzuki Bond Girl, retornou ao YCI com o mastro quebrado.


Imagens: Ney Amaral/Alexandre Haddad

Resultados:

Regata Alcatrazes por Boreste (60 milhas)
ORC Geral – Angela Star VI (Peter Siemsen)
IRC – Angela Star VI (Peter Siemsen)
RGS-A – Inaê/Transbrasa (Bayard Freitas Umbuzeiro)
RGS-B – BL3 (Pedro Rodrigues)

Regata Toque-Toque (18 milhas)
C30 – Caballo Loco (Mauro Dottori)
RGS-C – Cação (Escola Naval)
Clássico – Cangrejo (Ricardo Carvalho)
HPE 30 – Thaiti Nui (Juninho de Jesus)
Mini – Jacaré (Pedro Fukui)
Bico de Proa – Viveree (Atanawe Boechat)

Troféu Renato Frankenthal (12 milhas)
HPE 25 – Ginga (Breno Chvaicer)

Confira os resultados completos no site oficial >>

  • mail

Há 0 comentários

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>