Notícias
0

Disputa pela vaga olímpica na classe 49er tem sua primeira fase

A disputa pela vaga brasileira da classe 49er nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, encerrou sua primeira fase no domingo (8). No Sul-Americano de 49er e 49erFX, em Buenos Aires, na Argentina, Marco Grael e Gabriel Borges terminaram na frente de Dante Bianchi e Thomas Lowbeer. Já garantidas na Olimpíada, Martine Grael e Kahena Kunze ficaram com a medalha de prata na 49erFX. As três duplas brasileiras agora se preparam para o Mundial, que será disputado a partir do dia 16, também na capital argentina.

Para definir os representantes na Rio 2016, a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) adotou o critério de avaliação do desempenho nas principais competições nacionais e internacionais em 2013, 2014 e 2015. Por meio de análises dos resultados, o Conselho Técnico da Vela (CTV) define o representante.

As duas duplas brasileiras (Foto: Bernadita Grez/Club Náutico San Isidro)

As duas duplas brasileiras (Foto: Bernadita Grez/Club Náutico San Isidro)

Sul-Americano de 49er e 49erFX
Marco e Gabriel terminaram em 12º lugar, enquanto Dante e Thomas ficaram em 15º. Caso Marco e Gabriel voltem a ficar na frente dos compatriotas também no Mundial, estarão garantidos nos Jogos Olímpicos. Outra possibilidade de classificação direta de uma das duplas é se uma delas se posicionar dentro do top 15 com o dobro mais um de posições à frente da outra no Mundial.

Caso Dante e Thomas superem Marco e Gabriel no Mundial ou nenhuma das duas duplas fique no top 15 com o dobro mais um de posições à frente da outra, a vaga olímpica será definida na III Copa Brasil de Vela, em Niterói (RJ), em dezembro.

“O campeonato teve condições muito duras, com ventos fracos e a flotilha, desde os mais experientes aos mais novos na classe, com velocidades parecidas. Começamos com resultados ruins, mas mantivemos a calma e trabalhamos nosso potencial durante a competição. Estamos muito satisfeitos por termos conseguido este primeiro ponto, mas ainda temos uma disputa grande pela frente. No Mundial, não só o Brasil como outros países estarão buscando vagas e isso vai deixar as disputas mais intensas”, avaliou Marco.

Atuais campeãs mundiais na 49erFX, Martine e Kahena ficaram com a medalha de prata no Sul-Americano. As brasileiras ficaram com 48 pontos perdidos contra 41 das campeãs, as dinamarquesas Ida Marie Baad Nielsen e Marie Thusgaad Olsen. O bronze ficou com as argentinas Victoria Travascio e María Sol Branz, com 56 pontos perdidos.

Martine Grael e Kahena Kunze (Foto: Bernadita Grez/Club Náutico San Isidro)

Martine Grael e Kahena Kunze (Foto: Bernadita Grez/Club Náutico San Isidro)

Em 2015, Martine e Kahena conquistaram o bicampeonato do evento-teste. Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, ficaram com a prata. Nas etapas da Copa do Mundo da Federação Internacional de Vela (ISAF), elas venceram em Weymouth (Inglaterra), ficaram com a prata em Hyères (França) e o bronze em Miami (Estados Unidos).

Atualmente, a Equipe Brasileira de Vela conta com nove velejadores confirmados nos Jogos Olímpicos Rio 2016. São eles Robert Scheidt, na classe Laser; Fernanda Decnop, na Laser Radial; Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan, na 470 feminina; Martine e Kahena, na 49FX; Jorge Zarif, na Finn; Patricia Freitas, na RS:X feminina; e Ricardo Winicki, o Bimba, na RS:X masculina. Além da 49er, faltam definir os representantes na 470 masculina e Nacra 17.

  • mail

Há 0 comentários

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>